27 dez 2017

Novos Hábitos para 2018 – Esqueça as Promessas de Perda de Peso

O desenvolvimento humano é movido por bons hábitos, atividades que requerem disciplina de longo prazo. Não há atalhos nos caminhos da autorrealização. Portanto, não acredite em pular sete ondinhas para melhorar a sua vida.
A efetividade, a maturidade, o senso intenso de propósito, a liberdade interior, os relacionamentos baseados na verdade e no amor são frutos raros na existência humana, saboreados por indivíduos que aprendem, paulatinamente, a fazer melhores escolhas, até que tais escolhas se tornem agradáveis de se fazer: hábitos portanto.
Há apenas algumas décadas, a Ciência não podia explicar esse potencial de transformação comportamental, essa possível metamorfose rumo à sabedoria. Em nossos dias, contudo, a psicologia do desenvolvimento e a neurociência têm apurado dados precisos a respeito desse potencial. Apenas para citar algumas referências importantes, vejamos:
Carol Dweck PhD, da Universidade de Standford, autora do livro Mindset, revela:
“minhas pesquisas ao longo de vinte anos demonstraram que a opinião que você adota a respeito de si mesmo afeta profundamente a maneira pela qual você leva a sua vida (…).
“Acreditar que suas qualidades são imutáveis, o que chamo de uma mentalidade fixa, cria a necessidade constante de provar a si mesmo o seu valor.
“A mentalidade de crescimento se baseia na crença de que você é capaz de cultivar suas qualidades básicas por meio de seus próprios esforços. Embora as pessoas possam diferir umas das outras de muitas maneiras, em seus talentos e aptidões iniciais, interesses ou temperamentos, cada um de nós é capaz de se modificar e desenvolver por meio do esforço e da experiência”.
Daniel Goleman PhD e Richard Davidson PhD, da Universidade de Harvard, em seu livro “A Ciência da Meditação – como transformar o cérebro, a mente e o corpo”, concluíram que os meditadores mais regulares, que passam por muitos anos de práticas deliberadas e inteligentes de meditação, geralmente com a orientação de instrutores altamente capacitados, experimentam uma espécie de reconfiguração comportamental, envolvendo a relação entre a amígdala cerebral e o córtex pré-frontal, resultando em uma bondade amorosa amplificada e uma forte compaixão por qualquer pessoa, e mais: a gratidão pelas coisas simples da vida e o enfraquecimento dos desejos pessoais.
Uma terceira referência vem das pesquisas conduzidas por Barbara Fredrickson PhD, da Universidade da Carolina do Norte, que demonstraram que as pessoas que cultivam emoções positivas – como serenidade, gratidão e esperança – superam o modo defensivo de existir e entram em uma dimensão superior de qualidade de vida psíquica, também chamada de Florescimento, pelos especialistas da Psicologia Positiva.
Para terminar, então, apresento uma proposta de que, em 2018, cultivemos o hábito de desenvolver novos hábitos:
⁃ o hábito de buscar primeiro os bens espirituais.
⁃ o hábito de buscar em segundo lugar os bens emocionais e psicológicos.
⁃ o hábito de buscar conhecimentos por curiosidade genuína.
⁃ o hábito de não lançar expectativas falsas sobre os outros e de aprecia-las por serem diferentes de você, sem julgamentos.
⁃ o hábito de aprender com os erros.
⁃ o hábito de amar.

 

Feliz 2018!

 
Luciano Meira
Cofundador da Caminhos Vida Integral e Diretor de Metodologia do IPOG

2 Comentáarios

  1. Ana Paula

    Que texto maravilhoso, Prof. Luciano! Obrigada por nos nutrir com seu conhecimento e bondade!
    Feliz 2018 pra vc e sua família
    Abraços

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.